Canção Brasil

Leia os versos da composição musical de Cazuza e reflita sobre o nosso Brasil.
A música foi uma espécie de manifesto político e social criado em um momento muito particular da história do país. Tratava-se do período de redemocratização do Brasil, queríamos deixar para trás o passado marcado pela ditadura militar e caminhar em direção a um futuro livre e democrático.

Brasil
Não me convidaram
Pra esta festa pobre
Que os homens armaram
Pra me convencer
A pagar sem ver
Toda essa droga
Que já vem malhada
Antes de eu nascer
Não me ofereceram
Nem um cigarro
Fiquei na porta
Estacionando os carros
Não me elegeram
Chefe de nada
O meu cartão de crédito
É uma navalha
Brasil!
Mostra tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assim
Brasil!
Qual é o teu negócio?
O nome do teu sócio?
Confia em mim
Não me convidaram
Pra essa festa pobre
Que os homens armaram
Pra me convencer
A pagar sem ver
Toda essa droga
Que já vem malhada
Antes de eu nascer
Não me sortearam
A garota do Fantástico
Não me subornaram
Será que é o meu fim?
Ver TV a cores
Na taba de um índio
Programada
Pra só dizer: Sim, sim
Brasil!
Mostra a tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assim
Brasil!
Qual é o teu negócio?
O nome do teu sócio?
Confia em mim
Grande pátria
Desimportante
Em nenhum instante
Eu vou te trair
Não, não vou te trair
Brasil!
Mostra a tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assim
Brasil!
Qual é o teu negócio?
O nome do teu sócio?
Confia em mim
Brasil!
Mostra a tua cara
Quero ver quem paga
Pra gente ficar assim
Brasil!
Qual é o teu negócio?
O nome do teu sócio?
Confia em mim
Confia em mim
Brasil!
Composição: Cazuza / George Israel / Nilo Romero.
Estudo do Texto
1) No texto, quem está se queixando de sua situação? Cite passagens justificando sua resposta.
2)  Segundo a visão dos autores e considerando o conteúdo geral da letra, quem estaria reclamando de não ter sido convidado para a festa?
3) A que festa o poeta se refere quando afirma: “Não me convidaram pra essa festa pobre…”?
4) A que homens o texto faz menção?
5) De acordo com o texto, como se comportam esses homens?
6) Em que versos se percebe que o destino é impiedoso e inevitável?
7) O que pode significar os versos: “…a pagar sem ver / toda essa droga / que já vem malhada / antes de eu nascer…”?
8) Apesar do poeta não ter sido convidado para a festa, ele ficou nos arredores do local estacionando os carros. Explique o significado dos versos: “…não me ofereceram / nem um cigarro / fiquei na porta / estacionando os carros…”
9) Explique  estes versos:
“o meu cartão de crédito
é uma navalha”.
10) Responda à pergunta do texto: “qual é o teu negócio / o nome do teu sócio”?
11) Na sua opinião, que sentimento se pode perceber no verso “confia em mim”?
12) Nos três últimos versos da terceira estrofe, há uma crítica à televisão. Que crítica é esta? “ver tv a cores / na taba de seu índio / programada pra só dizer sim”.
13) Explique o paradoxo: “Grande pátria desimportante”
14) As letras de música aproximam-se de poemas. Cada estrofe do poema lido corresponde a uma parte, em que o tom do eu lírico se modifica. Em qual delas se faz uma invocação?
15) Até o verso 14, o eu lírico narra ocorrências das quais foi excluído.
a) Qual o primeiro desses acontecimentos?
b) Os agentes desse acontecimento aparecem através de um substantivo que os torna vagos, indeterminados. Qual?
c) Que objetivo tinham esses agentes?
16) Qual a consequência, para o eu lírico, de ter ficado “fora de festa”?
17) Na segunda estrofe o eu lírico dirige-se ao país, fazendo um pedido, duas perguntas e uma súplica. Identifique essas três manifestações.
18) A última estrofe, na sua quase totalidade, retoma o mesmo tom da primeira.
a) Nos seis primeiros versos desta estrofe o eu lírico enumera outras coisas das quais foi excluído. Cite-as.
b) Que pergunta o eu lírico se faz diante disso?
19) O tom dos três últimos versos dessa estrofe aproxima-se do tom da segunda estrofe: o eu lírico faz uma invocação e uma proposta. Que proposta é essa?
20) O poeta empresta sua voz para se expressar como um eu lírico pertencente a uma classe social. Qual?
21) Que expressão da primeira estrofe revela que a miséria é uma “herança” social para o eu lírico?
22) No terceiro verso do poema, a palavra “homens” esconde a identidade
a) (     ) de todas as pessoas.
b) (     ) da classe dirigente.
c) (     ) dos pobres.
d) (     ) dos guardadores de carros.
23) “Brasil, mostra a tua cara”  palavra destacada metaforiza
a) rosto –
b) verdadeira identidade –

 

1) Explique o sentido das palavras destacadas.
a) “Não me convidaram  / pra essa festa pobre
b) “a pagar sem ver / toda essa droga
c) “que já vem malhada / antes de eu nascer”
2) Releia os seguintes versos:
“ver TV a cores
na taba de seu índio”
Qual a forma culta de linguagem: TV a cores ou TV em cores?
3) No texto, apela-se ao Brasil como se ele fosse uma pessoa; daí ocorre a personificação.
Veja:
“Brasil
mostra a tua cara”
“Brasil
qual é o teu negócio
o nome do teu sócio”
Escreva uma frase em que haja personificação.
4) Escreva o sentido da expressão com a palavra cara na frase abaixo.
 “Brasil
mostra a tua cara” – ________________
5) Explique o significado do verbo armaram no verso “Que os homens armaram.

 

1) Apesar da crítica à situação brasileira, há no texto uma exaltação de amor à pátria.
Você concorda com a afirmação acima? justifique sua resposta.
2) Releia estes versos.
“Grande pátria desimportante
em nenhum instante
eu vou te trair”
Para você, o que seria uma traição à pátria?

 

 

Respostas
1) Um cidadão brasileiro: “… fiquei na porta estacionando os carros…”, “não me elegeram chefe de nada”.
2) O povo que vive no Brasil, ou seja, os brasileiros.
3) Refere-se à festa da democracia, ou melhor à eleição que aconteceu com o povo pedindo “Diretas já!”. O que aconteceu foi a eleição de Tancredo Neves pelo Congresso Nacional, sem a participação do povo como é feito atualmente. Fala em festa pobre porque o poeta considera que não houve participação popular nessa escolha.
4) Aos que detêm o poder, às autoridades políticas.
5) Eles manipulam as pessoas, usando-as para obter poder e dinheiro.
6)
Não me convidaram
Pra esta festa pobre
Que os homens armaram
Pra me convencer
A pagar sem ver
Toda essa droga
Que já vem malhada
Antes de eu nascer
[…]
7) Toda festa requer gastos, sejam financeiros, sejam materiais, sejam pessoais (esforço físico, psicológico, mental). Alguém tem que pagar por isso. O poeta reclama que o pagamento por uma festa com defeito (com manchas) foi feito pelo povo e seus descendentes.
8)  A festa foi feita, mas o povo não participou dela. Apenas ficou como espectador, trabalhando para manter o país organizado.
9) Já que nada lhe é permitido realizar por causa de sua pobreza, a única saída é roubar usando da violência.
10) O negócio é obter lucro e o sócio é o empresário e político corrupto.
11) Resposta pessoal.
Sugestão: Pede que a nação constituída e organizada confie em seu povo para resolver os problemas.
12)  A influência da televisão na cultura e opinião das pessoas através dos programas que, às vezes, não eram isentos, isto é, mostrava apenas um lado do fato, da notícia.
13) Pátria grande em tamanho territorial, mas sem importância política diante do mundo ou mesmo diante de alguns brasileiros.
14) Na segunda estrofe.
15)
a) A festa pobre.
b) Aos homens.
c)   Convencer o eu lírico a “pagar alguma coisa sem ver”, ou seja, a se deixar enganar.
16) Restou ficar “na porta estacionando os carros”.
17) Pedido: que o país mostre a cara. Perguntas: deseja descobrir quem paga para o povo ficar daquela maneira. Súplica: pede ao país que confie nele.
18)
a) Não foi premiado com a garota do Fantástico e sequer foi subornado.
b) O eu lírico questiona se o seu destino é ver TV em cores na taba de um índio.
19) A de não trair a grande pátria em nenhum instante.
20)  A classe dos privilegiados.
21)  “toda essa droga / que já vem malhada antes de eu nascer”.
22) b
23)
a) “o meu cartão de crédito é uma navalha”
b)  “Brasil / mostra tua cara”
Além da metáfora, ocorre também a personificação.

 

Linguagem
1)
a) A festa é pobre porque só há pessoas falsas, ambiciosas e corruptas.
b) A droga representa a vida difícil e miserável que o brasileiro enfrenta diariamente.
c) Malhada tem o sentido de marcada, determinada.
2)
TV em cores.
3) Resposta pessoal.
4) Rosto.
5) O poeta considera que não havendo participação popular na escolha do Presidente da República, essa decisão, definida por um pequeno grupo de pessoas (Congresso Nacional) era uma farsa planejada com o intuito de esconder algo do povo.

2 Comments

  • Silvia Helena Angélico 14 de julho de 2020 at 14:54

    Que chique!Que leitura maravilhosa!

    Reply
    • Micheline Ferreira Lima 15 de julho de 2020 at 09:22

      Bom dia!

      Eu também gosto muito de Cazuza. Suas canções são maravilhosas!

      Reply

Faça um comentário

Está com dúvidas ou precisando de ajuda?

Entre em contato será um prazer te ajudar!